top of page

A situação dos professores da rede estadual de ensino durante a pandemia na visão de um docente.

Fomos pegos de surpresa com a pandemia que levou ao fechamento das

escolas, forçando a rede de educação traçar caminhos para diminuir as

consequências aos alunos. Pensando nisso, convidamos o professor da Rede

Estadual de Educação da Bahia Luciano Oliveira, licenciado em história, pela

UFBA, para uma entrevista.

Memorial do Isolamento - Em seu ponto de vista, como essa pandemia

implica a vida dos alunos que já estão no mercado de trabalho? E aqueles que

ainda entrarão?

Luciano Oliveira - Como muitas atividades comerciais foram suspensas, eu

acredito que ou foram demitidos ou tiveram que ficar casa em isolamento

social. Para aqueles que entrarão, ainda mais dificuldade com a retração na

atividade econômica.

- Memorial do Isolamento - Já existe um plano de retomada ? Se sim, você

acredita que será possível que os alunos voltem a frequentar a escola ainda

esse ano?

- O plano de retomada já existe: divisão das turmas em duas partes com

frequência alternada para possibilitar o distanciamento social dentro das salas,

obrigatoriedade do uso de máscara, dispenser de álcool em gel espalhado pela

escola... Como a epidemia ainda está fora de controle, não vislumbro esse

retorno porque haverá um grande aumento da circulação do número de

pessoas, o que impactará na quantidade de pessoas utilizando o transporte

público e transitando pelas ruas.

- Memorial do Isolamento - A falta de professores é um problema constante

enfrentado pelos alunos, de que maneira isso ficará, visto que todos foram

prejudicados com a suspensão das aulas, como esses que não tinham os

professores farão?

- Luciano Oliveira - continuarão sem professores, pois os professores que

estão em grupos de risco necessariamente terão que ser afastado, ou seja, já

haverá uma necessidade de substituição desses já existentes.

- Memorial do Isolamento - Como está sendo o processo de educação a

distancia nas escolas estaduais ? E quanto aos recursos utilizados, todos

receberam igualmente?

- Luciano Oliveira - Não houve qualquer distribuição de recursos. Então, alguns

professores estão tentando utilizando o google classroon – com os recursos

dos próprio alunos e professores – fazem algum tipo de atividade. Até onde sei,

algo bastante incipiente e baseado no voluntarismo.

- Memorial do Isolamento -No seu ponto de vista, como podemos melhorar o

ensino on-line ?

- Luciano Oliveira - A primeira atitude é dotar os alunos dos recursos técnicos,

isto é, rede de internet satisfatória e um aparelho em condições de ser utilizado

como ferramenta pedagógica principal, que não é um celular.

- Memorial do Isolamento -Na perspectiva dos seus colegas de trabalho, as

atitudes tomadas são as melhores? Se não, o que vocês sugerem para

melhorar ?

- Luciano Oliveira - Não houve qualquer atitude concreta por parte do governo

estadual para possibilitar aulas “on line”, portanto nem tem como comentar. O

plano de retomada é completamente rechaçado pelo pelos professores porque

vários, como é meu caso, não faço parte dos grupos de risco, mas resido com

idosos que fazem parte. Essa circunstâncias também se estende aos

alunos e outros professores. O fato das crianças e adolescentes não fazerem

parte dos grupos de risco não elimina a potencial infecção dos outros grupos,

como professores, funcionários da secretaria, agentes de limpeza...

- Memorial do Isolamento - Quanto tempo sofreremos as consequências

educacionais causadas pela pandemia e o que podemos fazer para diminuir o

impacto?

- Luciano Oliveira - Ninguém tem essa resposta, só posso dizer que conteúdo

se repõe, vidas não. Além do mais, nossas escolas estão muito aquém do

mínimo necessário para uma boa educação e não vislumbro os governantes

- Memorial do Isolamento - Os alunos estão interessados em aprender? Se

não, que pode ser feito para mudar isso?

- Luciano Oliveira - Aprender o conteúdo oferecido pelas escolas, vejo muito

pouco interesse. Para uma revolução nesse quadro, sugeriria que houvesse

uma vinculação entre o benefício do bolsa-família com o rendimento escolar,

isto é, quanto maior o rendimento escolar maior o benefício pago.

- Memorial do Isolamento - Os professores estão sobrecarregados? Vocês

receberam algum curso sobre como planejar aulas online e como mexer nas

plataformas?

- Luciano Oliveira - Já fizemos cursos de qualificação para a utilização de

ferramentas tecnológicas, no entanto sem a aparelhagem e internet disponíveis

para os alunos, nada pode ser feito para atingir a todos.

- Memorial do Isolamento - Como está sendo a sua experiência como

docente? Tem ideia de como explicará para os futuros alunos sobre a

pandemia ?

- Luciano Oliveira - Ficar sem minha rotina, sem o exercício de minha atividade

profissional tem sido muito ruim, mas acredito que será um momento

passageiro, pois a epidemias são constantes na história do mundo.

- Memorial do Isolamento - Podemos transformar esse momento de

desespero em esperança para os discentes?

- Luciano Oliveira - O costumo dizer que as epidemias sempre aconteceram,

por exemplo, já houve duas pandemias no últimos vinte anos. Felizmente elas

não atingiram o Brasil. Portanto, da mesma forma que aquelas passaram, essa

também passará e sairemos mais experientes desse momento.

Na entrevista a cima, podemos perceber que os professores estão com medo

de voltar a trabalhar, sem vacina é complicado colocar os alunos de volta as

escolas, mas isso não impede que mecanismos sejam criados para auxiliar na

educação dos mesmos. Outro ponto que deve ser destacado é a inercia da

Secretaria de Educação, pois os alunos estão desassistidos em relação a

conteúdo, e nada está sendo feito para melhorar essa condição. É necessário

um comprometimento mais significativo do poder público, principalmente nesse

momento de pandemia.

12 visualizações0 comentário

コメント


Post: Blog2_Post
bottom of page